Antônio de Souza Filho
Meus Escritos
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
ContatoContato
Textos


Lágrimas

Oh, Deus eu te pedi um amor
Em reza simples só pra mim
Mas precisava ser assim
Tão forte tão devastador

E agora o que faço eu
Não quero devolver
Esse amor que não é meu

Culpa minha que não soube pedir
Agora as consequências
Tenho que medir

Livra- me pelo ao menos
Das lágrimas que eu sei
Hão de vir

Resolva-nos se for possível
Pois pra ti ninguém tem dono
Tudo a ti pertence
Só não gostas de abandono

Veja o estado que eu estou
Um mulambo está bem melhor
Ainda assim eu não arrego
Ficar sozinha é bem pior

Não é vergonha que me falta
São opções que eu não tenho
Todos os homens que eu conheço
Não gostam mais da flor
Só restaram os proibidos
Que acreditam no amor

A desculpa eu não sei se vale
Mas pense, por favor,
Não deixe que a outra saiba
Até que eu encontre o verdadeiro amor

(...)

Deus, por favor, me ajude agora
Põe a paixão porta afora
Tira essa dor do meu peito
Me ajude a viver
Deus, esse amor é um perigo
É tempestade, é castigo
Deus, por favor, eu te imploro
Me ajude a esquecer.

(...)

-----------------
Antônio Souza
Dedicado às mulheres com amor proibido,
e a Zezé de Camargo e Luciano,
esses malucos que falam de amor como poucos
António Souza
Enviado por António Souza em 27/09/2018
Alterado em 05/10/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Antônio Souza - www.antoniosouzaescritor.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

O Enigma de Esmeralda R$29,90
Site do Escritor criado por Recanto das Letras