Antônio de Souza Filho
Meus Escritos
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
ContatoContato
Textos


Se pudéssemos voltar no passado, provavelmente mudaríamos muita coisa e o faríamos diferente, mas será que valeria a pena mexer em coisas que foram naturais de uma vida, simplesmente pelo desejo de ter feito tudo correto?
 
E daqui pra frente será que já estamos preparados para não fazermos nada que nos leve a pensar assim e querer modificar mais tarde?!
 
O simples fato de admitirmos essa possibilidade já nos conduz ao erro, sim porque não deixamos de ser humanos e é próprio do humano cometer erros, embora tenhamos a obrigação de fazer tudo correto todos os dias. Os percalços são inevitáveis é preciso estar atento e forte, como diz o poeta numa canção.
 
Quando achamos que estamos fazendo tudo correto vem alguém e  nos conduz a erro é quando erramos de boa fé, em certos casos obtém-se o perdão não se pune, mas não deixou de ser algo que precisaria de uma correção, ou seja, pela regra do cuidado constante que leva-nos a não acreditar cem por cento em ninguém.
 
Entretanto, para certas inquietações, penso que é alguma maturidade que falta, certa aceitação de tudo que nos envolve. É preciso aceitar-se, na idade, na razão das coisas, entender que o tempo passa que tudo passa. Aceitar o passado, entender que ninguém é seu e a gente também não é de ninguém. Aceitar que a vida não pode parar e entender tudo aquilo que não se pode mudar.
 
É importante agarrar-se ao que é certo e preocupar-se mais com o que depende de si. Tudo aquilo que não se pode controlar não deve afetar tanto ao ponto de gerar perturbações. Preocupar-se menos com aquilo que ainda sequer aconteceu. É preciso saber esperar quando não se pode fazer nada além. Saber calar-se quando a falta é ouvir, vive-se melhor quando se observa mais, ouve-se mais e fala-se menos, assim, chega-se a fazer mais, conquistar mais e perder menos.
 
Há que sempre considerar os verbos, aceitar, aprender e aplicar. Assim, provavelmente, torna-se mais fácil todo objetivo, quer em sonhos a realizar ou com pessoas a conviver.
 
Na vontade de acertar às vezes erramos. Várias coisas eu aceitei, tantas outras aprendi e muitas ainda tenho por aplicar. Você também?
 
________________
 
António Souza
Enviado por António Souza em 19/10/2018
Alterado em 20/10/2018

Música: Como_uma_onda_no_mar - Lulu_Santos

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Antônio Souza - www.antoniosouzaescritor.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

O Enigma de Esmeralda R$29,90
Site do Escritor criado por Recanto das Letras