Antônio de Souza Filho
Meus Escritos
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
ContatoContato
Textos


O menino voador

Uma das coisas que um adulto mais gosta de fazer, imagino, é brincar com crianças. Principalmente se for sua, menina ou menino não importa, é sempre uma diversão incomparável. É ou, não é?! Comigo nunca foi diferente. Dos três filhos que tenho não sei com qual eu mais me diverti. Mas cada qual com sua particularidade.
 
Hoje todos estão grandes, maiores de idade, mas para mim, ainda são crianças e sempre que posso não deixo de tirar um sarro com eles, até por que, moral, isso eu não tenho mesmo, eles fazem de mim gato e sapato, no bom sentido, naturalmente. Eles se pelam de medo é da mãe, de mim, não. Hoje, aqui e agora vou aprontar uma para um deles; vou contar umas historinhas que Ele com certeza vem para cima de mim, dizendo, pô Pai, sacanagem!...
 
Isso porque hoje é o aniversário do Vinícius, sim é dele que vou falar esse bonitão aí da foto. Nunca vi ninguém que pudesse abrigar tantos apelidos por mim, desde pequenininho e ele sempre ficava mordido quando eu o chamava senão pelo seu próprio nome.
 
Era Antoninho, Antonácio, Antonioni, Vini Clayton, Vini Bill, esses últimos já recentemente. Ele apenas ficava vermelho e não dizia nada. A graça maior era quando eu ia busca-lo na escola, no IDAAM – lá eles chamavam a criança pelo autofalante e eu sempre dava um nome diferente, o cara da portaria já sabia e repetia várias vezes, então ele vinha voando, já mordendo os dedos e eu fazia que nada estava acontecendo, mas rindo por dentro. Mas logo passava, ele entrava no carro e já começava a cantar, santo Deus como ele gostava de cantar e eu fazia de conta que não estava ouvindo para ele ficar bem à vontade, somente quando realmente ele desafinava muito eu ria bem alto e ele então ficava sem jeito e batia no meu braço mandando eu parar.
 
A bronca maior era por que Ele nunca apreciou muito bem o seu primeiro nome “Antônio”, muito embora tenha entendido o porquê da origem, - foi uma homenagem que eu fiz para uns poetas que sempre amei, Antônio Carlos Jobim e Vinícius de Moraes. Além do meu, claro! Também por culpa dele mesmo, na verdade ele era o filho mais esperado por primeiro e chegou por último. Logo que casamos eu e a mãe dele fazíamos planos contando ser homem o primeiro filho. Nossa, para mim era uma questão de honra ter um filho homem para dar seguimento a minha bela raça (que Deus o livre) rsrsr
 
Lembro-me que até o nome estava certo, seria GW (Gedablo) por conta de um seriado americano que passava na época, não sei exatamente o canal de TV, mas o protagonista tinha esse nome e o cara realmente era fora de série, um rapaz fantástico que encantava todo mundo, principalmente as garotas que com ele contracenavam.
 
Mas o tempo passou, veio primeiro a Lalá, depois a Vevê e quando eu já não esperava mais a mulher me surpreendeu, engravidou depois de quase oito anos da última filha. Apostei todas as minhas fichas, agora é Homem..., pensava nisso todo dia, fiz até um pedido com promessa para o Airton Sena, logo que Ele morreu em maio daquele ano, para que fosse um varão aquela gravidez.
 
Acho que foi o porre mais divertido que tomei na vida, eu estava aguardando a mulher voltar do médico com o resultado da ultrassonografia; do local onde eu estava, na época o caixa do mercadinho que tínhamos com boa visão para rua, eu prestava mais atenção para fora na passagem dos carros que propriamente para os clientes no balcão, errei troco acredito que sim, mas com certeza contra a casa senão teriam me reclamado.
 
Em dado momento avistei nosso carro, vinha numa marcha lenta como em desfile militar e o meu coração pulsando a mil, quando finalmente passou por mim a Marilene sorriu, provavelmente o riso mais lindo de toda sua história e eu não precisei saber de mais nada comecei a preparar a farra para a noite e também não fechei mais a boca, ria com tudo e por tudo. Foi o meu dia mais feliz, que invadiu a noite, onde com meus amigos mais chegados ficamos realmente bêbados de tanta alegria.
 
Penso que todo mundo tem um filho extraordinário e é feliz por isso com a gente não é diferente, todos amam o Vinni, pela grandeza de caráter pelo incrível histórico de criança até agora adulto, pelas amizades maravilhosas que ele tem, pelo seu comportamento ante o mundo e por tudo que promete como ser humano. Ele almeja servir nos Médicos sem fronteiras (MSF) depois de formado, espero que alcance seus objetivos.
 
O Vinni tem a mim como Pai, mas tem várias mães por adoção, amor afetivo e verdadeiro, entre elas, suas amigas mais velhas que lhe trocavam as fraldas quando neném e até hoje e me parece serão para sempre, eles se adoram e andam sempre juntos quando saem para se divertir, é a Priscila, Laia, a Talita, a Ana Paula e a Nandinha, rsrsr, além da tia “Socorro” que o adora e o leva para viajar com ela todos os anos. Porém é para a Iolanda e a Elza nossas amadas vizinhas que ele e todos nós temos uma dívida eterna de gratidão, elas o acudiram e com ajuda de Deus o salvaram da morte, num momento trágico quando tinha apenas um aninho.
 
Mas voltando as brincadeiras; ele sempre adorou embalar-se em redes e era assim que a gente brincava e acredito fez dele um grande sonhador com imaginações fantásticas. Eu o colocava sobre os joelhos e o erguia e ele de braços abertos se imaginava um menino voador, ia há tantos lugares que precisava eu pedir para ele voltar, era muito engraçado... - vai vini voa...voa... cuidado com o fio, passou pela porta, pela varanda, subiu à rua, passou pela casa da Dona Bebé... cuidado!!!... Passou pelo INPA... nossa Vini!! Volta... tá muito longe... volta, volta... então ele fazia como se estivesse fazendo uma curva em pleno o ar e ria pra caramba, era muito legal.
 
Criança, tempo eternizado na nossa mente... que não volta jamais.
 
Parabéns meu filho, Feliz Aniversário!!! Nós te amamos muito, muito, muito!!!
 
Papai, mamãe, Lalá, Vevê, Hariclay, - Beré – e as crias: Valentina, Flora, Duda e Pretinho.

 
António Souza
Enviado por António Souza em 13/01/2019
Alterado em 13/01/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Antônio Souza - www.antoniosouzaescritor.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

O Enigma de Esmeralda R$29,90
Site do Escritor criado por Recanto das Letras