Antônio de Souza Filho
Meus Escritos
Textos
Um sonho insólito

 
Comer, beber, dormir... a tríade da coisa boa, é ou não é?! .... Quem pensar o contrário, sei não. No mínimo, está enganado. Claro, tem algo até melhor, mas esse não posso dizer aqui... rsrsr...
 
Estou começando esse texto assim, p’ra contar algo que vem me ocorrendo já há algum tempo e que agora nesses fins de tempos está mais engraçado, eu diria. – São minhas noites e meus sonhos incríveis. É verdade, vou contar um aqui, me valendo da liberdade de estar escrevendo entre amigos. Espero que se divirtam com a leitura.
 
Pois bem, eu adoro dormir, sou muito bom nisso, em rede, então, dou show. Durmo mesmo e às vezes fico triste quando me acordo, sim, até por que agora, só acordo quando realmente quero acordar. Desde que deixei de dar aulas à noite tem sido assim. Dane-se, o que for de pressa vai ter que me esperar.... rsrsr... –  é isso mesmo. Mas, recentemente descobri um detalhe nesses sonhos. É o da posição que eu durmo. Você vai entender.
 
Pois muito bem, quando estou dormindo deitado p’ro lado esquerdo, tenho um tipo de sonho, às vezes ruins, aventureiros e até parecem pesadelos, porém se estiver deitado p’ro lado direito, aí a noite é bela, os sonhos são lindos, tudo é formoso, chego a acordar rindo de tantas coisas legais que eu sonho. – Neste último final de semana eu fui p’ro sítio que tenho bem afastado da cidade e fiquei por lá. Fui dormir ao relento, olhando o céu estrelado e um clima super especial. Debaixo das árvores o vento parecia embalar minha rede. Nossa! Como estava legal. Dormi, sem me preocupar com a posição.
 
Muito, muito bem... aí um sonho veio se chegando, nele eu pressentia alguma coisa se aproximando, como se viesse quebrando a mata e fungando meio estranho, continuei dormindo, e a coisa aumentando, então eu sonhando pensei, poxa eu devo estar dormindo p’ro lado esquerdo; mas aí, eu não conseguia me mover p’ra mudar de lado e o barulho vinha ficando cada vez mais perto e mais alto o tal fungado. Então pensei: - só preciso mudar de lado, sei que estou dormindo; mas não conseguia me mexer, pensei em gritar, mas a voz estava muda, preciso acordar; estava ficando apavorado, nesse instante no sonho eu abri os olhos e vi uma cobra bem grande, enorme, tipo aquela anaconda, vindo ligeiro já de boca aberta p’ra cima de mim.
 
Quando ela ia me abocanhar, eu olhei p’ro céu, vi uma grande sombra e senti no meu corpo duas mãos com unhas bem grandes e me arrebatou, no exato momento que a cobra ia fechando a bocona dela em mim... – mas o medo só tomou outro rumo, a tal coisa me erguia pelos ares voando velozmente e eu ficava olhando p’ra baixo morrendo de medo. “Tenho pavor de altura”. Senti que meus testículos já estavam na garganta... rsrsr.... Então eu falei: - seja quem for você que me livrou da cobra, nem pense em me largar. Olhei novamente p’ra cima, era o rosto de uma águia gigante, ela olhou p’ra mim e com ar de riso falou: - dormindo p’ro lado errado, né? Ainda bem que se virou a tempo. Nesse instante ela se transformou, o rosto era da Gisele Bündchen, mulher linda que eu adoro, aí foi graça.
 
Ela sorrindo me disse: - sei que você gosta de mim por isso vim te salvar... vou te levar num lugar lindo que você nunca mais vai esquecer. Eu disse: - tudo bem, mas pode ser na terra?! Ela fez que ia me largar e eu me tremi todo. - Tá bom, tá bom... confio em você. Mesmo com medo seguimos voando e já conversávamos graciosamente, eu estava adorando tudo aquilo. Pensei: - deve ser a casa dela, já me disseram que é uma mansão super linda; mas não, era o cume de uma montanha bem alta, onde eu conseguia ver toda a terra, e as pessoas passavam como se estivessem próximas a mim e a cada cena ela me dizia o que era, e já transformada em mulher, bem ali do meu lado, chegava com o seu rosto bem perto do meu, então eu tentava beijá-la e ela me dizia; deixa de gaiatice eu sou casada. Eu dizia: - sim, eu sei, pena que não é comigo. Aquela atmosfera era de puro encanto e tudo me fazia rir e riamos juntos, estava simplesmente maravilhoso. Eu estava muito feliz. Aí eu pensei, agora sim, estou dormindo do lado certo. Tomara que o sol não chegue tão cedo.
 
Comecei a sentir certo desconforto que parecia me tocar, como se alguém estivesse me empurrando. Aí eu lembrei mesmo dormindo: -  é o meu cachorro que está debaixo da rede deve estar com frio. – Nesse momento me mexi e a Gisele me disse: –  não... por quê... fique mais um pouco... eu disse: - estou aqui, não vou p’ra lugar nenhum não..., mas era como se o vento a levasse e eu perdi o contato e continuei dormindo, sem estar sonhando. Mais um pouco recobrei, estava desabando da montanha, tentando me segurar em algum galho, em qualquer coisa, estava caindo a ponto de me esborrachar no chão, totalmente apavorado, sem voz, sem poder abrir os olhos e com um vento forte, eu tremia com muito frio. Vinha desabando com as mãos abertas procurando me agarrar em algo. Nesse instante meu dedo maior de todos encontrou um buraco e eu fiquei pendurado nele. Então ouvi um latido forte e uma espanada no meu rosto. Acordei.
 
Eu estava dormindo do lado esquerdo com a mão no rabo do cachorro. Aff...

 
 
...........................
Antônio Souza
(Contos/Insólitos)
 

www.antoniosouzaescritor.com


 
*****
 
Espirituosa interação do meu amigo e excepcional Poeta
Mestre:. Olavo Nascimento.

176200-mini.jpg?v=1456593281
28/10/2020 14:55 - 
POETA OLAVO

"Só percebi que era um sonho
 Quando acordei e não a vi
Tudo ficou muito tristonho
Com a realidade que antevi." 


*****
Antônio Souza
Enviado por Antônio Souza em 28/10/2020
Alterado em 28/10/2020
Comentários
O Enigma de Esmeralda R$29,90
Site do Escritor criado por Recanto das Letras