Antônio de Souza Filho
Meus Escritos
Textos

Estamos velhos, será?
(Crônicas)
.

Muitas pessoas se sentem velhos, ou agem como velhos; às vezes nem têm tanta idade p’ra isso, é ou, não é?! Você querido leitor, conhece alguém assim? O quê? Você é assim? Não acredito. ... Rsrsr ... bem, mas se for assim, creia, está na hora de fazer uma reflexão. Ficar velho é natural e consequência da vida, mas se tornar chato e por vezes inconveniente, não. Isso não, por favor.

 

O pior é que sem querer a gente leva junto outras pessoas, por exemplo: - o parceiro, marido, amigo, qualquer coisa do gênero; que talvez esteja esperando mais de você. – Dizer constantemente que está mal, que não gosta disso ou daquilo, que está sem paciência p’ra fazer qualquer coisa fora do costume, que as músicas de hoje são chatas, que no seu tempo de jovem é que as coisas funcionavam e ainda afirma, “coisas que não voltam mais”.... rsrsr... - pare com isso, por gentileza... se esforce, aceite que dói menos. Anime-se.

 

Ah, mas não é somente isso. Às vezes a consequência de não compreender bem esse momento da vida gera um problema maior, o abandono. Seu parceiro te deixa por outra ou outro, não sei. Às vezes o infeliz morre mais cedo por falta de estímulo p’ra viver; – as doenças dão salto triplo de alegria quando encontram um corpo assim, “pretenso cadáver”.

 

Portanto, preste atenção; evite certas coisas que caracterizam um velho chato, quase que insuportável: – Não ria pelo canto da boca, como se não achasse graça no que lhe contam – sorria p’ra valer, abra uma gargalhada “daquelas”... sem medo de perder a perereca... rsrsr... – ora, né não?! – Pare com esse medo de sair às ruas, procure um lugar seguro p’ra passear, se distrair. – “Ah, mas em todo canto está perigoso” – aí meu amigo, vá p’ra academia, treine jiu ji tsu... karatê, chave inglesa ou pague um segurança, mas saia dessa de ter medo, a gente vai morrer qualquer dia, não tem jeito. Na praia não deixe de segurar a mão de seu amor... corra um pouquinho, se cair tente se levantar... não esqueça o “Benguê”, pequenos hematomas vão lhe fazer muito bem e até lembrar-se de sua juventude... ora, ora ... um arranhãozinho de nada. Eu, hein! 

 

É isso amigões, ninguém deixa de ser Senhor ou Senhora por possuir um espírito jovem. Não se deixem envelhecer só porque é um direito de todos nós e até garantido por lei... não se entristeça só porque já não dá mais p’ra viver tudo intensamente. Também, pare com esse negócio de dizer que é sábio só porque está velho... “sou experiente, sei muita coisa” – sabe nada. Viva, se tiver que tirar alguma coisa do armário, tire. Mas leve junto algumas loucuras e muitas emoções. A gente só tem uma vida, acabou, lascou-se. – P'ra finalizar, me faça um grande favor... em qualquer lugar... “não arraste a sandália, pelo amor de Deus”. 

.
.................................
Antônio Souza
(Escritor/Poeta)

 

Música: https://youtu.be/q_gERYywpks 
Alphaville - Forever Young 

 

www.antoniosouzaescritor.com 
 

Antônio Souza
Enviado por Antônio Souza em 08/08/2022
Comentários
O Enigma de Esmeralda R$ 29,90
Site do Escritor criado por Recanto das Letras